Domingo tem Choro Vivo no Botânico em Bauru

Começa no domingo, dia 1 de outubro, mais uma etapa do projeto Choro Vivo, que leva música aos espaços públicos de Bauru. Para abrir a temporada, o grupo Bom Tempo faz uma apresentação no Jardim Botânico a partir das 10h. A entrada é gratuita.

A agenda segue e no dia 21 o show acontece no Bosque da Comunidade.

Nessas apresentações, o público entra em contato com o Choro, que ao longo dos anos vem se renovando, sem esquecer de suas raízes. Clássico como Brasileirinho de Waldir Azevedo ou Carinhoso de Pixinguinha entraram para o imaginário popular e hoje são consideradas hinos da expressão de brasilidade. A renovação do estilo está em músicos como Hamilton de Holanda e em Bauru com o grupo Bom Tempo.

Os choros mais conhecidos, Carinhoso, Tico-Tico no Fubá, Brasileirinho, assim como composições recentes fazem parte do repertório do grupo. A ideia neste momento, segundo Marli Nunes, integrante do grupo, é apresentar o estilo musical as pessoas que comparecerem aos shows e estimulá-los a saber mais sobre o Choro e quem sabe semear a paixão pelo estilo.

O projeto Choro Vivo

A ideia surgiu em 2015 e com o objetivo de continuar a difundir o choro na cidade de Bauru, visando despertar o interesse principalmente dos jovens para essa música.

O choro realmente tem sua origem na metade do século XIX, assim como começou o blues americano – que até hoje se vê tocado como nos primeiros tempos – e tem seu público seguidor. Tanto o blues como o choro podem ser tocados de maneira tradicional, ou com as influências do nosso tempo. Ambos incorporam as influências da época em que são compostos e podem ser rearranjados; ambos contam com compositores contemporâneos.

O choro, assim como o jazz, é um modo de tocar. Não é um gênero fechado. Há choro-samba, choro-valsa, choro-maxixe, choro-baião, choro-canção. Através de oficinas e shows, utilizando o choro cantado e pequenas sessões de improvisos, o público – estudantes e adultos – terá a oportunidade de se aproximar e apreciar o choro brasileiro.

Os músicos do Bom Tempo

Odair Felício Violão (violonista) foi integrante do grupo Isaias e seus Chorões. Participou do CD “Quem não chora não ama”, ganhador do Prêmio “Movimento” de música instrumental. Gravou ainda os CDs “O Choro e sua História”, “O Melhor do Choro” e “Na chama do Choro”. Gravou o CD Perfil de São Paulo, com Inezita Barroso onde se apresentou com o projeto em várias cidades do interior paulista.

Marli Aparecida Nunes (pianista) é formada em Letras pela Fundação Educacional de Votuporanga. Pianista formada pelo Conservatório Santa Cecília de Taquaritinga e Conservatório Dramático e Musical de Tatuí, Dr. Carlos de Campos, atua na área do choro na cidade de Bauru e outras cidades desde o ano de 2009.

Denise Amaral (vocalista) tem o aprendizado que vem das bandas de baile, escola de muitos músicos. A cantora faz parte do grupo “Clube do Jazz” com Derico Sciotti, tendo realizado muitos outros trabalhos com músicos de jazz, sambistas e chorões. Denise tem um público fiel que a acompanha onde canta.

Luiz Marcelo (Flauta) fez seus estudos na Orquestra Sinfônica Municipal de Bauru. Licencenciou-se em música Universidade do Sagrado Coração de Bauru, estudou no Conservatório Dramático e Musical de Tatuí. Atualmente, é professor no projeto Guri (Bauru), tendo integrado a Orquestra Sinfônica Municipal de Bauru e de Botucatu, assim como a Cia. Sinfônica de Bolso.

Silvio de Albuquerque Hamilton (baterista/percussionista) tocou em orquestra de bailes, cantores, grupos de música instrumental ao lado de músicos como Maestro Badê, Rodney Marsalis Philadelphia Big Brass, Marcio Negri, Manito, Derico Sciotti, entre outros, além de canjas memoráveis com Toninho Horta, Mario Manga e Raimundo Fagner. Participou de duas edições do Festival de Inverno de Campo do Jordão, onde ganhou a admiração de Amilton Godoy e Vinícius Dorin (in memorian). Lidera sua banda instrumental Silvinho Trio entre outros projetos. Atualmente vem atuando paralelamente como professor no projeto Guri/Bauru.

Serviço
Data: domingo, 1 de outubro
Horário: 10h
Local:  Jardim Botânico de Bauru – Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros – Km 232, s/n – Tangaras

Próximas apresentações:
21 de outubro – 10h30
Bosque da Comunidade

2 de dezembro – 16h
Museu Ferroviário de Bauru

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s